Mapas de Foco da BNCC

Os Mapas de Foco apresentam uma seleção de habilidades focais para cada ano do Ensino Fundamental, de acordo com a Base Nacional Comum Curricular. Nos documentos abaixo, apresentamos os Mapas de Foco da BNCC em sua versão final, no formato de um PDF navegável e no formato em planilha.

Nesta última versão, trazemos uma série de melhorias e um novo formato de visualização dos Mapas para facilitar a sua leitura. Você pode conferir todas as adequações desta versão clicando aqui.

Tanto no formato do PDF quanto no da planilha você poderá visualizar as habilidades classificadas como aprendizagens focais do Ensino Fundamental. Elas foram, também, traduzidas em objetivos de aprendizagem para guiar as aprendizagens e o desenvolvimento integral dos estudantes.

Os Mapas de Foco são a base para outro instrumento de apoio a volta às aulas presenciais, voltado para avaliação diagnóstica e formativa. Para conhecer a Plataforma de Apoio à Aprendizagem, clique aqui.

O objetivo dos Mapas de Foco da BNCC é ajudar a orientar a flexibilização curricular e escolha de conteúdos que estão sendo produzidos por redes de ensino e organizações de educação em situações extremas, como a pandemia do coronavírus.


Mapas de Foco

Perguntas frequentes

1. Como os Mapas de Foco da BNCC dão conta de toda a amplitude da BNCC?

Os Mapas de Foco não substituem o que dispõe a BNCC ou os currículos de referência, que apresentam os direitos de aprendizagem de todos os estudantes. Assim, os Mapas referenciam-se na Base e, a partir dela, convertem-se em estratégia que orienta e apoia as redes em cenários adversos, como paralisação das aulas para fazer priorização de habilidades ou flexibilização curricular em situações de exceção.

Dito isso, os Mapas de Foco da BNCC dão conta de toda amplitude da Base ao considerar na priorização feita todas as dimensões inovadoras da BNCC, tais como progressão de aprendizagens, competências gerais, específicas de áreas, unidades temáticas, objetos de conhecimentos habilidades, temas contemporâneos e transversais e desenvolvimento integral.

Em síntese, como o próprio nome sugere, os Mapas de Foco se constituem em um material que define as aprendizagens estruturantes, resultantes de um mapeamento estratégico pautado em critérios cuidadosamente estabelecidos para que as aprendizagens garantidas aos estudantes em um ano permitam reduzir o impacto do distanciamento social no ano subsequente.

2. Os Mapas de Foco da BNCC foram feitos especialmente para o contexto da pandemia?

Não. Fundamentalmente, os Mapas de Foco foram desenhados objetivando apoiar redes e escolas a reduzir e/ou evitar déficits de aprendizagem. Sob essa perspectiva, sua aplicação é possível não apenas em situações adversas, como a pandemia, mas também, e sobretudo, em ações que visem diminuir o distanciamento entre as aprendizagens propostas no currículo referencial e as aprendizagens reais da maioria dos estudantes brasileiros. Em suma, os Mapas de Foco almejam assegurar que as desigualdades de aprendizagem entre os estudantes de um mesmo ano, em uma mesma turma, possam ser minimizadas ou corrigidas, oportunizando a redução do distanciamento entre elas sem que, para isso, haja organização de classes de aceleração ou turmas de recuperação paralela.

3. Os componentes de Educação Física, Arte, Inglês e Ensino Religioso ficaram de fora dos Mapas de Foco?

Sim. Para atender à urgência ocasionada pela pandemia, organizamos os Mapas de Foco da BNCC por etapa (Anos Iniciais e Anos Finais) e apenas para componentes do Ensino Fundamental nos quais a centralidade da progressão das aprendizagens é mais demarcada nos currículos/BNCC. No entanto, isso não impede que as próprias redes consigam fazer o mesmo exercício para os demais componentes, orientadas pelos critérios que detalhamos no texto de abertura dos documentos.

4. Os Mapas contemplam todas as etapas da Educação Básica (EI/ EF/ EM)?

Não. Os Mapas de Foco contemplam os anos iniciais e finais da etapa do Ensino Fundamental.

5. Os Mapas podem ser usados para o EJA?

Depende da etapa da EJA. No caso dos Anos Iniciais, entendemos que seja possível o uso dos Mapas de Foco. Entretanto, para os Anos Finais e Ensino Médio o mais recomendado é a utilização das Matrizes Curriculares da Fundação Roberto Marinho, que também foram elaboradas de acordo com a Base Nacional Comum Curricular e em diálogo com os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável da Agenda 2030 da ONU. Elas apresentam uma seleção de habilidades consideradas prioritárias para orientar as produções educativas em diversas áreas educacionais, mas especialmente em projetos de aceleração da aprendizagem e Educação de Jovens e Adultos. Para conhecê-las, acesse o link.

​6. Como os Mapas de Foco da BNCC podem ser utilizados se o nosso currículo já foi concluído e efetivado? Como reorganizar o currículo para o retorno das aulas presenciais?

Embora as redes tenham dedicado tempo e recursos para a elaboração de suas propostas curriculares em consonância com a BNCC, é preciso admitir, dado o atual contexto, a inviabilidade de cobertura de todo o currículo previsto e a necessidade de uma flexibilização que dê conta de garantir as aprendizagens essenciais pelo menos para os anos de 2020 e 2021. Esse é o primeiro passo para projetar e implementar uma proposta curricular exequível, que salvaguarde a equidade defendida pela BNCC. Os Mapas de Foco da BNCC são um recurso que apoia a realização de diagnóstico e a tomada de decisão sobre a flexibilização curricular e garantia das aprendizagens. Caso sua rede ou escola já tenha feito um exercício de priorização, é possível utilizar Os Mapas para realizar uma conferência que ajuda a ter segurança nas escolhas feitas e eventualmente produzir algum ajuste caso você veja necessidade.

7. Podemos utilizar e adaptá-lo à nossa realidade e ao nível de aprendizagem dos alunos?

Sim. Os Mapas de Foco da BNCC apresentam uma seleção de habilidades classificadas como aprendizagens focais, ou seja, aquelas inegociáveis e essenciais para aprender e avançar em um componente ou nos componentes da área. É imprescindível que cada rede e escola use os Mapas como uma referência para fazer ajustes/adequações – ainda que provisórias – em seu próprio currículo, considerando algumas variáveis como: o diagnóstico estruturado das condições de aprendizagem e desenvolvimento dos estudantes, o tempo disponível, os recursos metodológicos etc.

8. Qual a diferença entre os Mapas de Foco da BNCC e as Matrizes Curriculares da Fundação Roberto Marinho, ambos elaborados pelo Instituto Reúna? Para uma flexibilização curricular de uma rede de ensino, qual material é recomendado utilizar como referência?

Os dois materiais partem de uma lógica de priorização de habilidades. A principal diferença está na organização de ambos e nas formas de uso. Os Mapas de Foco da BNCC apresentam uma organização ano a ano para todo o ensino fundamental, já as Matrizes Curriculares por etapas de ensino para anos finais do fundamental e ensino médio.

Além disso, as Matrizes Curriculares são endereçadas especificamente a propostas de aceleração da aprendizagem (correção de fluxo e distorção idade-série em redes de ensino), turmas de recuperação paralela e Educação de Jovens e Adultos. Os mapas de foco são para uso no ensino fundamental regular.

Assim, os Mapas de Foco são mais indicados para a flexibilização curricular de uma rede de ensino, uma vez que a organização anual permite não apenas oportunizar a garantia das aprendizagens, mas também elaborar avaliações diagnósticas, propostas de nivelamento da aprendizagem, etc.

9. Como os Mapas de Foco apoiam o acompanhamento da aprendizagem à distância no EF1?

Foram feitos comentários para cada uma das aprendizagens focais em todos os Mapas de Foco da BNCC, propondo chaves de leitura para as habilidades e sugestões de práticas. Acreditamos que, desta forma, cada rede estará munida de informações o suficiente para, de acordo com as suas necessidades, identificar o que pode ou não ser desenvolvido a distância. Contudo, os Mapas podem não ser suficientes para elaborar formas de acompanhar e avaliar como os alunos têm desenvolvido essas aprendizagens. Por esta razão, indicamos que veja também os recursos adicionais feitos a partir desse instrumento, como a Plataforma de Apoio à Aprendizagem (avaliação) e Educação na Pandemia (formação para gestores públicos).

10. Os Mapas de Foco ajudam no desafio de pensar as avaliações diagnósticas e de rendimento (pós-covid)?

Sim. As habilidades e competências presentes no Mapa podem pautar a elaboração de atividades e instrumentos de avaliação, pois as aprendizagens focais presentes nos Mapas são um importante farol para identificar quais  as habilidades inegociáveis e essenciais para aprender e avançar em um componente ou nos componentes da área, ao longo de todas as séries do Ensino Fundamental e não apenas no ano vigente. Um importante instrumento desenvolvido para apoiar as escolas com atividades diagnósticas é a Plataforma de Apoio à Aprendizagem. Na plataforma estão disponíveis atividades de verificação da aprendizagem para os componentes de Língua Portuguesa e Matemática para todos os anos do Ensino Fundamental (exceto 1º ano) e todas as séries do Ensino Médio. Os cadernos foram elaborados com base nos Mapas de Foco da BNCC e nos Marcos de Desenvolvimento elaborados pelo CAEd/UFJF, que também têm a BNCC como referência. Junto com as atividades diagnósticas, a plataforma oferece orientações pedagógicas para apoiar no ensino de habilidades prioritárias. Por meio de uma planilha diagnóstica, que gera relatórios sobre os níveis de aprendizagem dos estudantes conforme o desempenho observado nas atividades, de orientações que abordam possíveis erros cometidos pelos estudantes no processo de aprendizagem das habilidades e sugestões de como trabalhá-las em sala de aula, espera-se que o(a) professor(a) possa focar nos conteúdos prioritários e garantir o avanço na aprendizagem de todos seus estudantes.